As crônicas de Hell City- Capítulo 4 O cão dos Baskerville

Sempre achei a minha vida muito parecida com as histórias policiais que fizeram parte da minha formação. Além disso, sou jornalista e vivo em Hell City tendo contato com as pessoas e histórias mais bizarras e inacreditáveis que eu poderia imaginar viver.

Pois bem, certo dia, estava passeando e procurando novos "furos" pelas ruas assombradas de Hell City e então eu o vi, sim o Cão! Ele era tricolor, marrom, preto e branco, possuía olhos avelã e orelhas enormes. Para pessoas comuns era apenas um beagle, e realmente parecia ser, por este motivo tive dó e o adotei, levei-o para casa, dei comida e um local quentinho para viver. O Branquelo, o odiou desde o começo, mas tive pena da criatura.

Então, durante a noite, ele destruía tudo o que podia. Seus dentes ficavam enormes e suas garras se tornavam afiadas, como navalha e seus olhos, bem eram vermelhos e sedentos por sangue!

Os vizinhos se escondiam quando passeávamos pelas redondezas. A tia do pastel, olhava-nos pela fresta da cortina segurando o Edgar no colo, não se arriscava a sair de casa, até mesmo os cultos estranhos foram cancelados! Todos estavam em pânico!

Desta vez, eu virei a manchete local "Baskerville, a lenda é real". E estavam certos, ele era mesmo um Baskerville! Se pudesse descrevê-lo palavras não seriam suficiente! Um orelhudo de dentes e unhas afiadas pronto para aterrorizar e a agitar um pouco mais a vizinha esquisita de Hell City. Porém, desta vez e somente desta vez, tornei-me a principal ameaça da região, pois por alguma razão o cão Baskerville gosta da minha companhia e admito que é recíproco. Será que esse tempo vivendo em Hell City e aturando essas pessoas loucas afetaram também a minha sanidade, levando-me a aceitar a companhia de um cão do inferno?

Talvez, mas isso só descobriremos nos próximos capítulos!