Mrs. Dalloway de Virginia Woolf

Virginia Woolf foi uma das maiores escritoras do século XX. Ela nasceu em 1882, e teve todas as oportunidades do mundo para se tornar uma grande autora, visto que seu pai era um editor e mais tarde ela também se casou com um editor.

Porém, em 1941, ela cometeu suicido deixando um legado literário e influenciando autores como Clarice Lispector.



Em Mrs. Dalloway, um romance publicado em 1925, nós temos um enredo relativamente simples, focado em eventos cotidianos e banais. A história começa com a personagem Clarissa Dallowy, que é uma aristocrata fútil e arrogante que decide em uma manhã de quarta-feira sair nas ruas de Londres para comprar flores e termina com a sua festa. Nenhum grande evento ou trama ocorre no livro, é como se fosse uma "crônica maior".

A medida que ela vai conversando com outros personagens no decorrer do livro, o narrador muda "entrando na cabeça de cada deles", proporcionando ao leitor uma experiência única de "mergulho" nos estados da consciência humana. Provavelmente, Virginia Woolf, utilizou-se das correntes filosóficas da época, em especial da psicanálise de Freud, o qual ela teve a oportunidade de conhecer pessoalmente.

Na época de publicação do livro, a obra foi muito criticada pelos intelectuais, visto que eles não conseguiram compreender o raciocínio da autora, e muito menos entender o livro plenamente.

Dentre, os personagens de destaque, podemos eleger Septimus, que é um ex-soldado de guerra, da Primeira Guerra Mundial, que voltou com muitos traumas e mentalmente perturbado. Esse é um personagem muito importante, pois podemos afirmar que ele poderia ser a representação metafórica da loucura, enquanto Clarissa seria a representação da "normalidade".

Com um jogo de fluxo de consciência realizado pelos protagonistas, Virginia, consegue com maestria proporcionar ao leitor uma "viagem" aos estados da consciência humana.

Eu particularmente, gostei muito da obra. Não é uma leitura fácil, pelo contrário é bem complexa e que possui muitas leitura e análises. Acredito que todos os leitores deveriam passar por essa experiência e fazer as reflexões que o livro proporciona.

E você está pronto para realizar essa "viagem" ao centro da sua própria psique?