O gato preto- Edgar Allan Poe

Estamos em 19 de Janeiro de 1809, Estados Unidos. Nesse dia fatídico, nasce um dos maiores gênios literários, que tornou-se poeta, crítico literário, editor e um maravilhoso contista, criando a narrativa fantástica e o terror.

Edgar Allan Poe, foi um dos primeiros autores a desenvolver o gênero do terror e fantasia. Com ele, o mundo criou um ávido desejo por histórias de mistério e detetives, inspirando muitos outros autores do gênero posteriormente.

Um aspecto interessantíssimo sobre esse autor é o fato da sua vida pessoal ter se tornado um verdadeiro "pano de fundo" para suas criações literárias. Ele ficou órfão muito jovem e foi adotado por um casal, o qual mais tarde ele teve um grave desentendimento levando-o a fugir de casa e construir a sua própria vida. Porém, o aspecto mais curioso, e um tanto irônico, é o fato desse brilhante autor, ter sofrido uma morte misteriosa em 1849 aos 40 anos de idade. E isso permanece um mistério até os dias de hoje.

Felizmente, ele nos deixou um grande legado literário.

Em 19 de Agosto de 1843, um pouco antes de morrer, ele escreveu um dos seus contos mais famosos: " O gato preto".

Nesse conto fantástico, ele aborda o ponto de vista de um protagonista mentalmente perturbado, que desde de muito jovem, sempre gostou de maltratar os animais, com uma única exceção: O gato preto.

Ao longo da narrativa, esse protagonista chega ao seu clímax emocional levando-o a cometer um grave crime!

Esse conto é uma narrativa bem sombria e em primeira pessoa, que explora o lado mais obscuro da mente humana. Poe cria um jogo simbólico entre o homem e o gato.


O protagonista pode representar o lado humano e racional que todos temos, enquanto a figura do gato, pode simbolizar o lado animalesco, impulsivo e até mesmo vingativo que o homem possui.

Quando o protagonista, comete o crime, ele deixa-se levar pelo lado animal e impulsivo, e quando ele volta a razão, seguindo a narrativa da culpa, ele aflora seu lado humano.

Algo muito curioso nessa narrativa, é o fato do gato ser preto. Antigamente, principalmente na época que esse conto foi publicado, haviam muitas superstições em relação ao gato preto. Alguns acreditavam que as bruxas se transformavam em gatos, outros que ele seria um presságio de morte e ainda um simbolo de azar.

Sendo assim, Poe, aproveita-se de todo esse misticismo por trás da figura desse animal e cria uma narrativa voltada para o terror psicológico levando o leitor a uma profunda reflexão interior e explorando os medos mais secretos da mente humana.

Um conto muito interessante, rico em detalhes e com um desfecho surpreendente e inesperado, que com certeza vale muito à pena ser lido.