Outono também é para a cigarra!

Ah o Outono! Parece que o mês de Março se despede oficialmente do verão que torturou muitos brasileiros para nos presentear com uma belíssima paisagem e clima ameno!

Nessa época do ano podemos observar uma paisagem de renovação. As folhas caem e o céu apodera-se de tons mais alaranjados.

É inevitável, para mim, não observar as formigas, que arduamente carregam alimentos como uma forma de se prepararem para o inverno. É nesse momento também, que eu sempre me recordo da famosa fábula de La Fontaine "A cigarra e a formiga", a qual tornou-se literatura universal destinada ao público infantil.

Nessa fábula, sabemos que as formigas trabalhavam no outono para estocarem comida para o inverno, enquanto a cigarra usava do seu tempo para cantar e se divertir.

É interessante como essa pequena história pode ensinar o valor prático do trabalho e esforço para as crianças, mas podemos analisá-la sob um olhar crítico, talvez nem mesmo pensando pelo próprio autor.

Será que as formigas não trabalharam mais felizes e se sentiram mais produtivas devido às canções que a cigarra produzia? Seria a cigarra uma vilã, ou a representação da parcela da população excluída da sociedade, que dependia de meios informais para manter a sobrevivência?

Não raro, notamos no nosso mundo uma parte operária (as formiguinhas) que trabalha para sustentar os luxos de uma minoria (a formiga rainha). Essa parte da população, não está totalmente pobre, visto que seu trabalho ainda proporciona alguns recursos para o "inverno" e garantem assim a sua sobrevivência.

Por outro lado, também notamos uma parte da população (a cigarra) que é composta por muitos artistas não reconhecidos pela mídia, que tentam de forma informal divulgar seu trabalho para o mundo, mas que muitas vezes isso resulta em frustração e falta de compreensão social. Esses artistas renegados, muitas vezes só terão o reconhecimento que merecem após a sua morte, como aconteceu com muitos artistas conhecidos atualmente.

Portanto, La Fontaine, talvez não tenha tido a oportunidade de olhar o mundo com outros olhos, ou talvez não tivesse pensando carinhosamente na Cigarra como uma vítima social. Entretanto, nós, temos todos os dias, a oportunidade de pensar de forma ampla, não permitindo assim que a nossa opinião seja formada pela mídia