Garotas Plásticas: Uma sociedade distorcida

Após a colonização do Brasil, a sociedade copiava a moda da Europa. Investia em tecidos caros e exuberantes. A beleza estava nos detalhes e na aparência das pessoas, o que também contribuía para diferenciar a classe social delas.

Ao longo dos anos, a moda passou por muitas transformações. Durante a Segunda Guerra Mundial, o mundo sofreu muitos problemas financeiros e foram necessários realizar ajustes significativos na indústria têxtil. As longas e exuberantes saias e vestidos desapareceram, e as mulheres, pela primeira vez na história, apareceram com saias mais curtas e puderam exibir as pernas.

Nessa época, houve também um grande avanço tecnológico e com isso a velocidade da informação tornou-se maior. A indústria da moda pode se promover com mais facilidade e rapidez.

Existem muitos profissionais sérios que trabalham nesse meio. Entretanto, o grande perigo está na imagem de perfeição que a moda retrata. Em suas capas, em geral, são apresentadas modelos extremamente magras, altas, bonitas com essa ou aquela cor de cabelo.

Os adolescente, são os maiores consumidores da moda, e quanto mais eles observam aquelas pessoas "perfeitas" mais eles querem se tornar como elas,obtendo uma imagem distorcida de si mesmos.

A grande maioria dos jovens, desenvolveu depressão, distúrbios mentais, transtornos alimentares e alguns suicidaram-se, pois não conseguiram atingir a "perfeição". Outros, foram escravizados pela moda, envolvendo-se em grandes dívidas. Além disso, tornaram-se críticos extremos julgando a si mesmos e a outros.

É incrível a ironia presente em tudo isso! A moda sempre busca rostos inovadores, pessoas criativas e dinâmicas. Todavia, seus seguidores não conseguiram desenvolver essas características, tornando-se meras réplicas.

Atualmente, as meninas tornaram-se "clones umas das outras", no seu modo de falar, de se vestir, a cor utilizada no cabelo, suas opiniões sobre o mundo e principalmente sobre si mesmas, tornando-se "garotas plásticas".

A verdadeira beleza do mundo, não é ditada pela moda, muito menos pelo o que ela considera "aceitável e bonito". A perfeição não existe e nunca existirá sob o olhar de pessoas imperfeitas.

O mundo está repleto de "garotas plásticas" tentando ser o que não são, e perdendo sua própria identidade. Tudo que é igual, comum e abundante não tem "brilho", não tem "magia" é entediante. Por outro lado, fomos criados com o desejo de apreciar coisas novas, diferentes e únicas. A diversidade no mundo é o que o torna completo.

Ao olharmos a nossa volta, vemos que a criação é uma grande diversidade e tudo se combina de modo harmonioso e equilibrado. Então, porquê as pessoas deveriam ser exatamente iguais se a grande complexidade da sociedade está contida nas diferenças?

Não podemos mudar o mundo e nem o modo de pensar dos outros, porém está em nossas mãos decidir como usar a nossa vida: Seguindo a multidão com as "garotas plásticas", ou indo na direção oposta à elas e aprimorando a nossa personalidade e cultivando orgulho da pessoa que somos, afinal só existe um de nós no mundo, então por que desperdiçar nossa individualidade, se é isso que nos faz tão especiais?